Cadetes em navio de treinamento resgatam pessoas presas no mar por 15 dias

Navio da Texas A&M Maritime Academy resgata embarcação avariada. Imagem cortesia da Texas A&M Maritime Academy.

Cadetes que navegavam em um navio de treinamento texano receberam uma lição em primeira mão sobre as leis do mar, depois de se depararem com um pequeno navio avariado e em perigo.

Durante a viagem do Texas para a Flórida a bordo TS Kennedy, Os cadetes da Texas A&M Maritime Academy William Flores e Kai Ethridge avistaram um navio atingido no Golfo do México, durante sua vigília matinal.

“Pouco depois do nascer do sol, um pequeno objeto preto foi avistado à distância. Mantendo uma observação atenta, pude ver a forma de uma pequena embarcação através dos meus binóculos à medida que nos aproximávamos”, diz Ethridge. “Passamos pela embarcação a estibordo e, de repente, três cabeças saltaram da pequena embarcação e começaram a acenar.”

A embarcação avariada, que tinha três pessoas a bordo, estava à deriva há 15 dias. O capitão Wade Howell, comandante do navio de treinamento da academia, começou resgatar protocolos em conjunto com o US Coast Guard e os trouxe a bordo.

Os indivíduos resgatados posteriormente receberam tratamento médico antes de serem reunidos com suas famílias.

“Passei mais de 20 anos no mar e só vivi um outro incidente como este”, diz Howell.

O Kennedy fez um rápido desvio ao largo de Key West para deixar os indivíduos com a Guarda Costeira dos EUA para cuidar de seus cuidados antes de prosseguir para Fort Lauderdale.

O 165 metros TS Kennedy está no meio de seu semestre marítimo anual de verão para 171 estudantes cadetes a bordo em vários Texas A&M programas de graduação.

“Fazer parte de algo assim foi uma experiência incrível”, diz Flores. “As ações do capitão e da tripulação definitivamente salvaram vidas a bordo.

“As coisas poderiam ter sido muito piores para todas as partes, mas no final tudo acabou bem.”

Comentários estão fechados.

Esta página foi traduzida do inglês por GTranslate. O artigo original foi escrito e/ou editado pela equipe MIN sediada no Reino Unido.

Ir para o conteúdo